Você que olha


Deixo essa poesia
Como água de pote
Para que com sede
Mate a pressão de guerras
De noites mal divididas
Entre solidão e lençóis
Entre metais e fúrias

Para que com sede
Tudo se renove.
(José Soares Neto - Fortaleza, 06/02/2013)

*às vezes penso em lançar livro, e pensando, me policio a deixar pedaços por aqui. Mas às vezes quero é que tudo se espalhe, mas que molhe meu prato com pão, por isso publico completo por aqui. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ninfa

Justamente por você ter se envolvido demais