27 de novembro de 2012

Velocidade

                         *Todos os direitos reservados ao autor
Perdoe a ousadia
É que tua beleza é poesia
E teu azul é íntimo

Segredo de tua janela

Alma que balança em rede

Sonhos não balançam

Mas fazem perder

Cor de céu
Mar que molha

E nada mais foi dito.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você que por aqui está passarinhando...
Deixe seu assombro!